Translation

sexta-feira, 6 de junho de 2014

História da Igreja Luterana em Maceió. The History of the Lutheran Church: Maceió.







 








Texto  publicado em Contexto de 30 de outubro de 2011 em Tribuna Independente. Para este blog, estamos utilizando material digitalizado e com gerenciamento das imagens realizado por Kellyson Ferreira, com a coordenação do Professor Antônio Daniel Marinho.











Um pequeno bilhete sobre a liberdade religiosa

Luiz Sávio de Almeida


A formação de uma consciência  social e especialmente a montagem da ciência social, passa pela reforma como um de seus marcos centrais, na medida , em que Lutero desabilita a posse do conhecimento das mãos oficiais e habilita uma investigação pessoal dos / fundamentos da verdade. Passa tempo, segundo entendemos, para que dois acontecimentos de monta apareçam somando seus efeitos na construção do atual: a } revolução francesa e a industrial. Conhecer Lutero é básico pelos fundamentos históricos e políticos que ele representa. A reforma lançou a busca da verdade fora dos padrões oficiais de controle; a revolução francesa mostrou que a organização política da sociedade cabe ao povo e não a um direito sagrado de transmissão do poder; a revolução industrial criou a figura politic a do operário.

Portanto, jamais se poderá ignorar a marca histórica que foi a iniciação da reforma  e da Igreja que diretamente evolui u em parte da tradição germânica. É incrível ver o tem- \ po entre Lutero e a Igreja Luterana em. Alagoas. Ela existe e é recente, mesmo para os padrões de encontro de Alagoas com ", o protestantismo que começou a ser desenhado pelos finais do século XIX. Contexto acha que o protestantismo em Alagoas deve estar publicamente visível em nossa história, pelo lugar que desempenha. Vamos ler um pouco sobre a Igreja Luterana.
Contexto agradece à, Congregação Cristo Redentor pela fidalguia do diálogo



Igreja luterana
um marco  na históna do Cristianismo 

Máríon Hunther Antunes



 Há494 anos, no dia 31 de Outubro de 1517, a Igreja Cristã passava por um marco em sua historia. O que acontecia ali mudaria todo o conceito de fé, salvação e igreja. Influenciando Estado, economia, e até mesmo a educação. O mundo nunca mais seria o mesmo!

Este marco na história conhecido como a Reforma Protestante, teve como principal agente, o doutor em Teologia Martinho Lutero. Ele, ex-padre católico que viveu na idade média (1483 -1546) e qüe inconformado com a prática abusiva adotada pela Igreja de sua época, resolveu defender os princípios bíblicos fundamentais da igreja cristã, combatendo assim, um longo período de escravidão, corrupção e inanição - em nome da fé.
As bases da Reforma não eram novas, antes, eram as verdades eternas de Deus, como reveladas na Bíblia.
Tudo começou quando Lutero, preocupado com a salvação eterna, descobriu que havia representantes da igreja (católica) negociando supostas cartas de perdão dos pecados por dinheiro, chamadas “indulgências”. Convicto de que isso era abuso de clérigos corruptos, Lutero escreveu um manifesto com 95 afirmações (teses) contra a venda de perdão, e o pregou na porta da igreja do Castelo de Wittenberg (Alemanha), no dia 31 de outubro de 1517. Esta data passou a ser considerada o Dia da Reforma. Nestas afirmações Lutero procurou mostrar que Deus perdoa de graça a quem crê em Jesus Cristo, e que ninguém pode comprar o perdão de Deus ou conquistá-lo por méritos ou
esforços próprios.
A causa última da Reforma não foi o comércio de indulgências, e sim, o tamanho do abuso com as coisas sagradas. A pergunta fundamental que Lutero se fazia era: “Qual a autoridade suprema em assuntos de religião e consciência?” O exame da matéria, à luz dos ensinamentos divinos, devia provocar - como de fato provocou - a restauração da igreja na sua pureza primitiva.


 

As obras de penitência representavam a base das indulgências, como as orações, jejuns, esmolas e outras, que podiam ser substituídas pelo pagamento de determinadas somas em dinheiro. Esta era uma forma de barganhar com Deus e de manipular as pessoas. A Igreja, cristianismo, precisam de reforma!Para o reformador, Deus nos aceita como justos somente quando nos arrependemos de nossos pecados, cremos e confiamos em Jesus Cristo. “Justificados pois, mediante a fé, temos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo” (Romanos 3.20). E esta fé sim, leva necessária e espontaneamente a produzir boas ações, assim como a árvore saudável produz bons frutos. O ensino adotado pela igreja da época era justamente o oposto: através das virtudes e boas obras as pessoas conquistavam a graça de Deus por merecimento, deixando de confiar na obra de Jesus e passando a confiar em suas próprias obras; atitude totalmente oposta descrita na Epístola aos Efésios: “Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus. A salvação não é o resultado dos esforços de vocês; portanto, ninguém pode se orgulhar de tê-la” (Efésios 2.8,9).

Em conseqüência disso, Lutero recebeu uma ordem do Papa exigindo que se retratasse de suas afirmações, fato que comprovava que o próprio Papa estava por trás desses abusos. E, diante de sua recusa, foi excomungado.
Sua intenção não era fundar uma nova Igreja, mas sim, uma reforma na Igreja que ele amava. Mas não lhe restou alternativa, a não ser defender e anunciar a Palavra de Deus sob o principio da obra de Deus em Jesus Cristo. Estas verdades receberam grande adesão de lideranças e do povo em geral que estavam cansados de tamanha exploração e ansiavam por reformas. Estas pessoas, mesmo contra vontade de Martinho Lutero, passaram a se identificar e serem chamadas de “Luteranos” ou protestantes.

As influencias mais significativas de Lutero foram:
1- Traduziu a Bíblia para a língua do povo para a edificação de sua fé. Defendeu que a Bíblia é suficiente e completa como fonte de doutrina, norma de fé e vida. Decretos papais, instrução em lendas é tradições só afastavam as pessoas da verdade divina.
2- Determinou que a pregação
fosse na língua do povo, e não mais em latim.
3- Incentivou a criação de escolas para que todos pudessem aprender a ler e escrever. Sua orientação era que ao lado de cada igreja existisse uma escola.
4- Restaurou o Sacramento da Santa Ceia. Negar o vinho aos comungantes, conforme prática da Igreja Romana, significava um flagrante desrespeito ao testamento de Jesus Cristo. Jesus expressamente acentuou: “Bebei dele todos” (Mateus 26.27).
5- Defendeu o direito de cada paróquia ou congregação chamar ou demitir seus pastores, em assembléia geral, favorecendo o processo democrático na Igreja.
6- Combateu a prática da oração aos santos e à Maria, por ser Cristo o único intermediário entre Deus e os seres humanos, conforme a Bíblia em Ia Timóteo 2.5. Os santos ou cristãos consagrados devem ser bom exemplo de fé para seguir, tendo sua memória preservada, mas não ser colocados na posição de intermediários entre nós e Deus.
7- Valorizou o trabalho do cristão na sociedade. Tanto o trabalho profissional, como a busca de soluções para os problemas sociais, é trabalho que agrada a
Deus, pois serve ao próximo.
8- Fez divisão entre Igreja e Estado, defendendo um Estado laico. Ou seja, administrado pelo povo e não pela igreja.
Em virtude dos seus múltiplos dons e sua produção teológica, Lutero recebeu destaque na revista americana Life que efetuou uma pesquisa a respeito de personagens que marcaram o milênio (1001-2000). Levou-se em consideração quantas pessoas um determinado acontecimento afetou e que diferença fez na vida cotidiana delas. Os resultados da pesquisa de vinte jornalistas e de especialistas em quase todas as áreas do conhecimento, foram publicados no Brasil pela revista Veja, Edição Especial do Milênio (12/2001): Em primeiro lugar Jo- hann Guttenberg, que se destacou com a impressão da Bíblia; em segundo lugar Cristóvão Colombo, que abriu as portas para que o mundo se transformasse numa aldeia global; em terceiro lugar Martinho Lutero, pela sua contribuição a toda sociedade através do movimento da Reforma.

Segundo a Revista Escola (edição 022,2008) Martinho Lutero é “o autor do conceito de educação útil” que vendo a realidade abusiva e de abandono
interior ao templo sede
do sistema educacional na Idade Média, sugeriu uma concepção de educação que visasse à formação de um ser humano integral. Para ele a educação em primeiro plano, é tarefa dos pais, mas compromisso principal e fundamental das autoridades em todos os níveis, sendo necessária uma estrutura social qué garantisse esse acesso indistintamente para todas elas, com gente especializada e mantida comunitariamente, tarefa do Estado. Além do mais combateu a educação repressiva, introduziu o lúdico na aprendizagem e lutou por boas bibliotecas.
Verdades preservadas integralmente no Brasil, depois de quase 500 anos da Reforma
No Brasil existem duas grandes Igrejas Luteranas: a IELB (Igreja Evangélica Luterana do Brasil) e a IECLB (Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil), que juntas somam quase milhão de fiéis. A diferença entre ambas está mais na origem das missões que vieram ao Brasil, a primeira é americana e a segunda alemã.


Há alguns pontos de divergência, no geral a IELB é um tanto mais confessional ou fiel aos fundamentos da Reforma. A IECLB por ser uma missão alemã acabou tendo influencias do liberalismo no cristianismo europeu ocorridos no inicio do século XIX.
Embora a IELB, seja em números de fiéis menor, está presente em todos os Estados Brasileiros, inclusive aqui em Maceió, onde todos os luteranos oriundos de outras cidades são recebidos e acolhidos.
A Igreja Luterana (IELB) no Brasil
No início do século XX, a pedido de alguns cristãos luteranos, a Igreja Luterana - Sínodo de Missouri, dos Estados Unidos, enviou ao Brasil o pastor Christian J. Broders que fundou, no dia Io de junho de 1900, a Comunidade Evangélica Luterana São João, em São Pedro, RS. Em 24 de junho de 1904, foi fundada, em São Pedro do Sul, RS, a Igreja Evangélica Luterana do Brasil - IELB.
Hoje a IELB conta com mais de 800 pastores e aproximadamente 240 mil membros. Tem pastores missionários também na Europa, Américas e África. No trabalho missionário conta com o apoio da “Hora Luterana”, que produz programas de rádio, material de aconselhamento e cursos bíblicos (www.horaluterana.org.br).

A formação de todos os pastores da IELB tem duração de seis anos: Quatro anos de bacharel em Teologia em convênio com a Universidade Luterana do Brasil com sede em Canoas, RS, e em tempo integral, como especialização em ministério pastoral, no Seminário Concórdia de São Leopoldo, RS.
A IELB se organiza de seguinte forma:
A Congregação é a comunidade local. Existem 1447 congregações em todo Brasil, todas tem uma diretoria que executa as decisões da Assembléia dos Membros Votantes;.
A Paróquia é a união de várias congregações, quando as mesmas têm o mesmo pastor. O número de paróquias é 508 no Brasil.
O Distrito é a união de várias paróquias, geralmente formada de quatro a dez paróquias. Há um pastor que é eleito Conselheiro Distrital, com o mandato de 4 anos e um líder leigo, tendo ambos como função representar o Distrito e visitar as paróquias e eventualmente resolver conflitos para o bom andamento geral. Hoje existem 55 Distritos na IELB.
A organização nacional da IELB se dá da seguinte forma:
Uma Diretoria Nacionàl é eleita por 4 anos pela Convenção Nacional, como um órgão executivo.
A Convenção Nacional realiza-se de quatro em quatro anos. Participam todos os pastores ativos (com chamado), sendo que somente um pastor e um representante leigo por paróquia têm direito a voto. Aqui são decididas questões administrativas da igreja.
O Conselho Diretor normalmente reúne-se uma vez por ano. É composto por todos os conselheiros distritais e os líderes leigos distritais. É um órgão executivo, no sentido que está subordinado a Convenção Nacional, entretanto tem poderes deliberativos em diversas situações.

Dentro da IELB existem ainda organizações auxiliares, como a Juventude Evangélica Luterana do Brasil, a Liga de Servas Luteranas do Brasil e a Liga de Leigos Luteranos do Brasil, além de 20 Associações de Entidades Sociais, instituições que trabalham especialmente com crianças, doentes, idosos e deficientes auditivos, 60 Escolas, 2 Faculdades e 1 Universidade. Possui ainda uma Editora, que produz literatura (livros, devocionários, Cds, etc.) e material evangelístico para a igreja.

Um comentário:

  1. Gostei muito da matéria. Parabéns Sávio, grande colaboraro e que valoriza todos os segmentos sociais! Parabéns. Também a materia escrita pelo Pr. Marlon Hutner. Dele temos boas lembranças e exemplo de fé cristã tão bem vivenciada entre o povo algoano. Hj atende outra comunidade em Joaçaba, mas o trabalho nas alagoas marcou muitas pessoas!

    ResponderExcluir