Translation

sábado, 26 de julho de 2014

Luiz Sávio de Almeida. Maceió: a Rua do Livramento em um sábado de outubro de 2005

Segunda-feira, 19 de dezembro de 2011










O texto sobre as fotografias está da forma como foi redigido em campo,  logo após ter sido tirada a foto ou depois, à noite, quando as imagens do dia eram repassadas.


As fotos foram tiradas para posterior comparação. Infelizmente perdemos as anotações de visada e coordenadas. 



Na verdade,  a fotografia está sendo usada para realizar uma espécie de etnografia urbana, tentando captar cenas do cotidiano de diversos pontos de Maceió, além de montar uma série de imagens que na certa ajudarão,  no futuro, a quem desejar estudar a cidade e sua vida.

A cidade de Maceió
Região da Praça Deodoro
Rua do Livramento




Ela vai bater no calçadão. A posição dos carros, da bicicleta e do carrinho demonstra como é uma espécie de boca de funil, no caso, a despejar na Rua do Comércio. Tudo isso aqui mudou radicalmente; mais ou menos onde está a porta azul clara, ficava um estabelecimento comercial que mais frequentei e sempre me lembro das donas. Era o Foto São José que se mantinha pequeno, com sua clientela de fotógrafos profissionais. Ele era uma transição entre a antiga tradição da pose, do retrato e que foi se vulgarizando no instantâneo, na busca da massificação da fotografia. Foi aí que aprendi a trabalhar em laboratório e montei o meu em casa.

A torre da Igreja do Livramento parece ter o sino solto no ar.  Em plano médio e à direita, o antigo Liceu, depois o Forum. Ele está praticamente em frente ao Banco do Brasil, edifício que foi construído na gestão de papai. Parece que o Banco foi construído onde ficava um  Hotel.  Em frente à Igreja, ficava um bar chamado Bar do Chop. Ele ainda resiste, mas é outro. Todos os sábados nos reuníamos ali. Estou vendo que penso mais no passado do que no presente da rua.  Será que estou com saudade dos meus tempos de boêmia, na pequena Maceió que vivi?

Nenhum comentário:

Postar um comentário